OS IMPACTOS DA COVID-19 NA EDUCAÇÃO ESCOLAR INDÍGENA DO SUDESTE PARAENSE

THE IMPACTS OF COVID-19 ON INDIGENOUS SCHOOL EDUCATION IN SOUTHEASTERN PARÁ

Resumo

Este artigo é uma análise sobre os impactos da Covid-19 nas comunidades indígenas do sudeste paraense no que concerne à Educação Escolar Indígena e aos fatores políticos que afetam o combate à pandemia nessas comunidades tradicionais. O trabalho foi constituído a partir de dados obtidos no decorrer de reuniões remotas realizadas este ano, que contaram com a presença de várias lideranças indígenas (Parkatêjê, Kyikatêjê, Suruí, Guaraní, entre outras) e representantes de associações de povos tradicionais (quilombolas, extrativistas e comunidades do campo), com o intuito de direcionar medidas de combate à doença, que está matando a população indígena, e discutir acerca do possível retorno às aulas de forma remota, através do Sistema de Educação Interativo (SEI) proposto pela Secretaria de Educação do Estado do Pará. A fundamentação teórica baseia-se em dados de teses recentes, que apontam as disparidades educacionais que refletem nas comunidades indígenas, como Alencar (2018), e em autores como Munduruku (2012), que abordam sobre a importância da participação dos próprios indígenas na construção de uma Educação Escolar Indígena diferenciada e feita pelos mesmos. Essas considerações são propícias ao momento político e sanitário que vivemos no Brasil, onde a desassistência a essas comunidades é ainda mais evidente, de modo que o quantitativo referente aos casos confirmados e de morte entre os indígenas é questionável, uma vez que não registram os que moram fora das aldeias. Em suma, inúmeros são os problemas causados pela pandemia da Covid-19, contudo, o foco deste trabalho são os impactos sobre a Educação Escolar Indígena, a qual prima, especialmente, pela educação específica, intercultural e diferenciada.

Biografia do Autor

##submission.authorWithAffiliation##

Mestranda pelo Programa de Pós-Graduação em Letras da Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará (POSLET/UNIFESSPA). Bolsista da Fundação Amazônia Paraense de Amparo a Estudos e Pesquisa (FAPESPA)

##submission.authorWithAffiliation##

Doutora em Linguística pela Universidade Federal do Ceará (PPGL/UFC). Professora de Linguística da Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará (UNIFESSPA)

Referências

ALENCAR. Maria Cristina Macedo. Eu acho que os índios não querem mais falar na linguagem por causa do preconceito, não é professora! desafios na Educação Escolar Intercultural Bilíngue entre os Aikewara & Guarani-Mbya no sudeste do Pará. Tese (Doutorado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Comunicação e Expressão, Programa de Pós-Graduação em Linguística, Florianópolis-SC, 2018.
AZEVEDO, Ana Lucia. Geneticista diz que imunidade de indígenas à Covid-19 é menor. O Globo Sociedade, 2021. Disponível em: https://oglobo.globo.com/sociedade/coronavirus/geneticista-diz-que-imunidade-de-indigenas-covid-19-menor-1-24915816. Acesso em: 02 de abril de 2021.
BRASIL. Referencial curricular nacional para as escolas indígenas/Ministério da Educação e do Desporto, Secretaria de Educação Fundamental. - Brasília: MEC/SEF, 1998.
CANDAU, V. M. Cotidiano escolar e cultura (s): encontros e desencontros. In: CANDAU, V. M. Reinventar a escola. Petrópolis, RJ: Vozes, 2002.
CARDOSO DE OLIVEIRA, Roberto. A crise no indigenismo. Campinas: Editora da Unicamp, 1988.
MPF e MPPA promovem diálogo sobre a educação no Pará e o Sistema Educacional Interativo (SEI). Ministério Público Federal, 2021. Disponível em: http://www.mpf.mp.br/pa/sala-de-imprensa/noticias-pa/mpf-e-mppa-promovem-dialogo-sobre-a-educacao-no-para-e-o-sistema-educacional-interativo-sei. Acesso em: 02 de abril de 2021.
MUNDURUKU, Daniel. O caráter educativo do movimento indígena brasileiro (1970-1990). Coleção educação em foco. Série educação, história e cultura. São Paulo: Paulinas, 2012.
Pará segue com a vacinação contra Covid-19 para grupos prioritários. Agência Pará, 2021. Disponível em: https://agenciapara.com.br/noticia/24523/. Acesso em: 09 de abril de 2021.
PIMENTEL DA SILVA, Maria do Socorro. Letramento bilíngue em contextos de tradição oral. Goiânia: PROLIND; FUNAPE, 2012.
WHO calls for further studies, data on origin of SARS-CoV-2 virus, reiterates that all hypotheses remain open. World Health Organization, 2021. Disponível em: https://www.who.int/news/item/30-03-2021-who-calls-for-further-studies-data-on-origin-of-sars-cov-2-virus-reiterates-that-all-hypotheses-remain-open. Acesso em: 09 de abril de 2021.
Publicado
2021-07-01
Como Citar
FARIAS, Carmelia Goncalves de; SOARES, Eliane Pereira Machado. OS IMPACTOS DA COVID-19 NA EDUCAÇÃO ESCOLAR INDÍGENA DO SUDESTE PARAENSE. Web Revista SOCIODIALETO, [S.l.], v. 12, n. 34, p. 1 - 17, jul. 2021. ISSN 2178-1486. Disponível em: <http://sociodialeto.com.br/index.php/sociodialeto/article/view/397>. Acesso em: 18 set. 2021. doi: https://doi.org/10.48211/sociodialeto.v12i34.397.