REFLEXÕES SOBRE A PRÁTICA DOCENTE NO ENSINO SUPERIOR NO ENSINO DE LIBRAS

REFLECTIONS ON TEACHING PRACTICE IN HIGHER EDUCATION IN THE TEACHING OF LIBRAS

Resumo

O presente estudo possibilita a reflexão sobre as experiências docentes no ensino da Língua Brasileira de Sinais (LIBRAS) como segunda língua em instituições de ensino superior maranhenses. A partir da vivência como professora de Libras no ensino superior foi possível perceber a necessidade da ressignificação da prática docente no ensino desta língua para que se garanta o sucesso do aluno surdo. Nesse sentido, os objetivos desta pesquisa são analisar a prática docente dos professores de Libras no ensino superior, perceber de que forma acontece a prática docente no aprendizado da língua de sinais e refletir sobre a práxis educativa no ensino superior no que tange ao ensino da língua de sinais e seu aprendizado como segunda língua. Dessa forma, o arcabouço teórico-metodológico que sustentam esta pesquisa é a pesquisa bibliográfica, à luz dos estudos de Gil (2008), Lakatos & Marconi (2012) a partir da revisão de literatura sobre o processo histórico da educação de surdos, pois é uma categoria histórica. As reflexões teóricas estão de acordo com os posicionamentos de Quadros (1997;2006), Gesser (2009;2012), Santos (2015), Strobel (2009), dentre outros.

##submission.authorBiography##

##submission.authorWithAffiliation##

Professora do Departamento de Letras da Universidade Federal do Maranhão (UFMA).

Referências

BRASIL. Lei 10.436 de 24 de abril DE 2002. Dispõe sobre a Língua Brasileira de Sinais – LIBRAS e dá outras providências. Brasília, DF, 2002.
BRASIL. Decreto nº 5.626 de 22 de dezembro de 2005. Regulamenta a Lei no 10.436, de 24 de abril de 2002, que dispõe sobre a Língua Brasileira de Sinais - Libras, e o art. 18 da Lei no 10.098, de 19 de dezembro de 2000. Brasília, DF, 2005.
DINIZ, Heloíse Gripp. A história da Língua Brasileira de Sinais (LIBRAS): um estudo descritivo das mudanças fonológicas e lexicais. 144f. Dissertação, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2010.
FREIRE, Paulo. Educação como prática da liberdade. Rio de Janeio: Paz e Terra. 2009.
GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2008
GESSER, Audrei. Libras: que língua é essa. São Paulo: Parábola, 2009.
GESSER, Audrei. O ouvinte e a surdez: sobre ensinar e aprender LIBRAS. São Paulo: Parábola Editorial, 2012.
GHEDIN, E. Professor reflexivo: da autonomia da técnica à autonomia da crítica. In: PIMENTA, Selma Garrido; GHEDIN, Evandro (Orgs). Professor reflexivo no Brasil: gênese e crítica de um conceito. São Paulo: Cortez, 2012 (CAP. 6, p. 148-173).
MARCONI, Maria de Andrade; LAKATOS, Eva Maria. Metodologia do trabalho científico. 7. ed. São Paulo: Atlas, 2012
MARTINEZ, Pierre. Didática de Línguas Estrangeiras. Tradução: Marco Marcionílio. São Paulo: Parábola Editorial, 2009.
QUADROS, Ronice Müller de. Educação de Surdos – A aquisição da linguagem. Porto Alegre: Artes Médicas, 1997.
QUADROS, Ronice Müller de; SCHMIEDT, Magali L. P. Idéias para ensinar português para alunos surdos. Brasília: MEC, SEESP, 2006.
REIS, Flaviane. Professor surdo: identificação ou modelo? In: QUADROS, Ronice Müller de; PERLIN, Gladis. Estudos surdos II. Petrópolis, RJ: Arara Azul, 2007, p. 86-99.
SANTOS, Emanuelle Félix dos. Tecendo leituras nas pesquisas sobre LIBRAS: sentidos atribuídos ao seu ensino na educação superior. IN: ALMEIDA, Wolnei Gomes. Educação de surdos: formação estratégias e práticas. Ilhéus – BA: Editus, 2015.
STROBEL, Karin Lilian. História dos surdos: representações “mascaradas” das identidades surdas. In: QUADROS, Ronice Müller de; PERLIN, Gladis (orgs). Estudos Surdos II. Petrópolis, RJ: Arara Azul, 2007. p. 18-37.
STROBEL, Karin Lilian. História da educação de surdos (apostila da disciplina do curso de Letras Libras – UFSC). Florianópolis: Universidade Federal de Santa Catarina – UFSC, 2009.
STUMPF, Mariane Rossi. Educação bilíngue para surdos: relatos de experiências e realidades brasileiras. In: QUADROS, Ronice Müller, de; STUMPF, Mariane Rossi (orgs). Estudos Surdos IV, Petrópolis, RJ: Arara Azul, 2009. P. 425-50.
WILCOX, Sherman; WILCOX, Phillis Perrin. Aprender a ver: O ensino de língua de sinais americana como segunda língua. Tradução: Tarcísio de Arantes Leite. Editora Arara Azul. 2005.
YATIM, Nahla; PEREIRA, Janaí de Abreu. Aprendizagem de LIBRAS com L2 no ensino superior. Revista Virtual de Cultura Surda, edição 18, jul 2016.
Publicado
2021-07-03
Como Citar
ARAÚJO, Claudiane Santos. REFLEXÕES SOBRE A PRÁTICA DOCENTE NO ENSINO SUPERIOR NO ENSINO DE LIBRAS. Web Revista SOCIODIALETO, [S.l.], v. 12, n. 34, p. 1 - 17, jul. 2021. ISSN 2178-1486. Disponível em: <http://sociodialeto.com.br/index.php/sociodialeto/article/view/380>. Acesso em: 18 set. 2021. doi: https://doi.org/10.48211/sociodialeto.v12i34.380.