O DISCURSO DO “PROTAGONISMO JUVENIL” NA BNCCEM: DESLOCAMENTOS E MOVIMENTO DE SENTIDOS

THE DISCOURSE OF "YOUTH PROTAGONISM" IN BNCCEM: DISPLACEMENTS AND MOVEMENT OF SENSES

Resumo

O objetivo deste artigo é analisar como o discurso do protagonismo juvenil inserido nos textos da BNCCEM se correlaciona com os discursos de viés empresarial direcionado aos jovens pela ONU/UNESCO desde 1965, atribuindo ao jovem o papel de ser o principal agente de uma ação, um ator social. Nesse sentido, queremos refletir como essa proposta aparece em nossa Política Educacional de Ensino, não historicamente, mas constitutivamente consubstanciada de termos como, proatividade, sujeito autônomo e líder, pois tais expressões coadunam diretamente com o mercado de trabalho. Assim, vamos descrever sob a ótica da Análise de Discurso Pecheutiana os deslocamentos e movimentos de sentidos que mobilizam o Sujeito, a Ideologia e o Simbólico.

Biografia do Autor

##submission.authorWithAffiliation##

Mestrando em Linguística pela Universidade do Estado de Mato Grosso Carlos Alberto Reyes Maldonado (UNEMAT).

##submission.authorWithAffiliation##

Doutora em Linguística pela Universidade Estadual de Campinas. Mestrado em Estudos de Linguagem pela Universidade Federal de Mato Grosso. Professora efetiva na Universidade do Estado de Mato Grosso, atuando no Curso de Letras e no Programa de Pós-Graduação em Linguística.

Referências

ALTHUSSER, L. Ideologia e aparelhos ideológicos do estado. 3. ed. São Paulo: Martins Fontes, 1980.
BRASIL. Base Nacional Comum Curricular (BNCC). Brasília: MEC. 2018. Produção editorial fundação Carlos Alberto Vanzolini gestão de tecnologias em educação.
BRASIL. Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular–BNCCEM. 3ª versão. Brasília, DF, 2018. Disponível:<. Acesso em 10/07/2019.
BRASIL. Conselho Nacional de Educação. Diretrizes Curriculares Nacionais para o Ensino Médio. Brasília, 1998.
BRASIL. Lei de Diretrizes e bases da educação. Senado Federal, Centro Disponível em http://portal.mec.gov.br/sesu/arquivos/pdf/lei9394.pdf> Acesso em 05/07/2019.
BRASIL. Conselho Nacional de Educação. Parâmetros Curriculares Nacionais: ensino Médio. Brasília: 2000. Disponível em Acesso em 05/07/2019.
COSTA, Antônio Carlos Gomes da. Protagonismo juvenil: adolescência, educação e participação democrática. Salvador: Fundação Odebrecht, 2000.
ONU. Organização das Nações Unidas. Congresso Mundial sobre a Juventude. Declaración de Barcelona, 1985.
ONU. Guia prático para a sociedade civil. O campo de ação da sociedade civil e o sistema dos Direitos Humanos das Nações Unidas. Palais des Nations CH 1211 Geneva 10 – Switzerland, 2004.
ORLANDI, Eni P. Discurso em análise, Sujeitos, Sentidos e Ideologias Campinas SP: Pontes Editora, 2012.
ORLANDI, Eni P. Análise de Discurso: princípios e procedimentos. 11. ed. Campinas SP: Pontes Editores, 2013.
ORLANDI, Eni P. Discurso e leitura. 8.ed. São Paulo: Cortez, 2008.
PÊCHEUX, Michel. Semântica e discurso: uma crítica à afirmação do óbvio. Tradução Eni Pulcinelli Orlandi [et al.] - 2.ed. - Campinas, SP: Editora da UNICAMP, 1995.
UNESCO. Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura. Representação no Brasil. Políticas públicas de/para/com juventudes. 2. imp. Brasília: UNESCO, 2005.
Publicado
2021-06-29
Como Citar
SEBA, Adilson Vilasboas; BRESSANIN, Joelma Aparecida. O DISCURSO DO “PROTAGONISMO JUVENIL” NA BNCCEM: DESLOCAMENTOS E MOVIMENTO DE SENTIDOS. Web Revista SOCIODIALETO, [S.l.], v. 12, n. 34, p. 1 - 13, jun. 2021. ISSN 2178-1486. Disponível em: <http://sociodialeto.com.br/index.php/sociodialeto/article/view/370>. Acesso em: 18 set. 2021. doi: https://doi.org/10.48211/sociodialeto.v12i34.370.