DENOMINAÇÕES PARA DIABO NAS CAPITAIS NORDESTINAS: UM ESTUDO GEOLINGUÍSTICO COM BASE NO ATLAS LINGUÍSTICO DO BRASIL

  • Geisa Borges Costa UFBA

Resumo

O estudo busca descrever e analisar as denominações utilizadas pelos falantes das capitais do Nordeste do Brasil para nomear o item lexical diabo. Para isso, utilizaram-se inquéritos do Projeto Atlas Linguístico do Brasil (ALiB), realizados com 72 informantes, distribuídos equitativamente por ambos os sexos, em duas faixas etárias e dois níveis de escolaridade, selecionados de acordo com os critérios da Dialetologia Contemporânea. Pautando-se nos pressupostos teórico-metodológicos da Geolinguística Pluridimensional, analisou-se a primeira questão do Questionário Semântico-Lexical referente à área semântica da religião e das crenças, com o intuito de documentar a riqueza sinonímica para a variante diabo. Os dados foram coletados através da pergunta: “Deus está no céu e no inferno está ...?”. Foram registrados 206 dados lexicais, concretizados através de 26 variantes: anjo mau, anticristo, besta-fera, belzebu, bicho ruim, cão, capeta, capiroto, chifrudo, coisa ruim, cramulhano, criatura, demo, demônio, desgraça, diabo, encardido, enxofre, inimigo, lúcifer, príncipe dos céus, sapirico, satã, satanás, sujo, troço. A lexia diabo foi a resposta com maior frequência no corpus do trabalho, perfazendo um total de 28% dos dados, seguida de satanás (20%), cão (13%), demônio (8%), capeta (7%) e lúcifer (6%). O estudo demonstrou algumas informações significativas do ponto de vista diatópico: as variantes diabo e satanás foram documentadas nas nove capitais que fizeram parte do estudo e a lexia cão também obteve uma alta produtividade na Região Nordeste. A análise semântico-lexical revelou uma correspondência entre os recursos linguísticos substitutivos do referente diabo e os tabus linguísticos, registrados através de processos metafóricos, eufemísticos e disfemísticos. O estudo serviu para demonstrar a diversidade do léxico religioso do português falado no Nordeste do Brasil, sendo de extrema importância para o conhecimento da multidimensionalidade que a língua portuguesa assume nos diversos espaços físicos e socioculturais.


ABSTRACT: The study seeks to describe and analyze the denominations used by speakers of the capitals of Northeast Brazil to name the lexical item devil. For this purpose, surveys of the Atlas Linguistic Project of Brazil (ALiB) were used, carried out with 72 informants, distributed equally by both sexes, in two age groups and two levels of education, selected according to the criteria of Contemporary Dialectology. Based on the theoretical and methodological assumptions of Pluridimensional Geolinguistics, the first question of the Semantic-Lexical Questionnaire regarding the semantic area of religion and beliefs was analyzed, in order to document the synonymic richness for the devil variant. The data was collected through the question: "Is God in heaven and in hell is ...?". 206 lexical data were recorded, realized through 26 variants: bad angel, antichrist, beast-beast, beelzebub, bad animal, dog, devil, capirot, horned, bad thing, cramulhano, creature, demo, demon, disgrace, devil, grimy , sulfur, enemy, lucifer, prince of the heavens, sapirico, satan, satan, dirty, section. Lexia devil was the most frequent answer in the corpus of work, making a total of 28% of the data, followed by satan (20%), dog (13%), demon (8%), devil (7%) and lucifer (6%). The study showed some significant information from a diatopical point of view: the devil and satan variants were documented in the nine capitals that were part of the study and the lexia dog also obtained a high productivity in the Northeast Region. The semantic-lexical analysis revealed a correspondence between the substitute linguistic resources of the devil referent and the linguistic taboos, registered through metaphorical, euphemistic and dysphemistic processes. The study served to demonstrate the diversity of the religious lexicon of Portuguese spoken in the Northeast of Brazil, being extremely important for the knowledge of the multidimensionality that the Portuguese language assumes in the different physical and socio-cultural spaces.


KEYWORDS: Lexicon. Devil. Linguistic Atlas of Brazil

##submission.authorBiography##

##submission.authorWithAffiliation##

Doutora em Língua e Cultura pela Universidade Federal da Bahia, onde atua como Professora Adjunta de Língua Portuguesa.

Publicado
2020-07-23
Como Citar
COSTA, Geisa Borges. DENOMINAÇÕES PARA DIABO NAS CAPITAIS NORDESTINAS: UM ESTUDO GEOLINGUÍSTICO COM BASE NO ATLAS LINGUÍSTICO DO BRASIL. Web Revista SOCIODIALETO, [S.l.], v. 10, n. 30 SER.1, p. 222 - 238, jul. 2020. ISSN 2178-1486. Disponível em: <http://sociodialeto.com.br/index.php/sociodialeto/article/view/261>. Acesso em: 27 nov. 2020.