ANO INTERNACIONAL DAS LÍNGUAS INDÍGENAS: CENÁRIO LINGUÍSTICO KAINGANG DA TERRA INDÍGENA GUARITA

  • Celina Eliane Frizzo (UNIJUÍ/UFFS)
  • Marcelo Jacó Krug UFFS
  • Cristiane Horst UFFS

Resumo

No ano em que se comemora “O Ano Internacional das Línguas Indígenas (International Year of Indigenous languages – IYIL2019)”, iremos, com o presente trabalho, apresentar, com base em fatores extralinguísticos e linguísticos, como está a atual situação do Kaingang e o uso do português na Terra Indígena Guarita, no noroeste do Rio Grande do Sul. Muitos estudos descrevem e trazem dados de comunidades indígenas do norte ou nordeste do país, porém poucos são os estudos, dentro da área de Linguística, que trazem as comunidades indígenas no sul, o que as fazem, muitas vezes, serem apagadas do cenário linguístico. Nossos dados são oriundos da pesquisa de campo realizada em 2016 e para este artigo fizemos um recorte de oito perguntas do questionário do Atlas das Línguas em Contato na Fronteira (Krug, 2013) e aplicado a oito informantes, quatro informantes femininas e quatro masculinos, destes oito informantes temos quatro informantes jovens (18 - 36 anos) e quatro mais velhos (acima de 55 anos). Nossos dados apontam para uma leve revitalização do Kaingang, mas que ainda temos muito a fazer, principalmente na questão da valorização da língua entre os próprios usuários. Para isso propõe-se utilizar políticas in vivo por meio das tecnologias que promovam a revitalização e a manutenção do Kaingang e isso tudo, por meio da escola.


ABSTRACT: In the year in which it is celebrated the International Year of Indigenous languages – IYIL2019 we will we will, with the present work, posit, based on extralinguistic and linguistic factors, how is the current situation of the Kaingang and the use of Portuguese in the Guarita Indigenous Land, in the northwest of Rio Grande do Sul. Many studies describe and bring data from indigenous communities in the north or northeast of the country, but few studies in the area of Linguistics bring indigenous communities in the south, which often make them extinguished from the linguistic scene. Our data comes from the field research conducted in 2016 and for this article we made a cross-cutting of eight questions from the Contact Languages at the Border Atlas (Krug, 2013) questionnaire and applied to eight informants, four female informants and four male informants. Eight of them have four young informants (18-36 years) and four older (55+) informants. Our data points to a slight revitalization of Kaingang, but we still have a lot to do, mainly in the issue of the valuation of the language among the users themselves. For this purpose, it is proposed to use policies in vivo through the technologies that promote the revitalization and maintenance of Kaingang and all this, through the school.


KEYWORDS: Kaingang language. Linguistic contact. Linguistic Maintenance and Revitalization.

Biografia do Autor

##submission.authorWithAffiliation##

Graduada em Letras Inglês e Respectivas Literaturas pela Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande de Sul (UNIJUÍ). Mestre em Estudos Linguísticos pela Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS).  

##submission.authorWithAffiliation##

Graduado em Letras - Português Alemão pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos, mestre em Letras pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul e Doutor em Filologia Românica pela Christian – Albrechts Universität zu Kiel na Alemanha.

##submission.authorWithAffiliation##

Graduada em Letras Português/Alemão pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos (2001) e Doutor(a) em Letras/Filologia Românica pela Christian-Albrechts-Universität zu Kiel (Alemanha).

Publicado
2019-09-16
Como Citar
FRIZZO, Celina Eliane; KRUG, Marcelo Jacó; HORST, Cristiane. ANO INTERNACIONAL DAS LÍNGUAS INDÍGENAS: CENÁRIO LINGUÍSTICO KAINGANG DA TERRA INDÍGENA GUARITA. Web Revista SOCIODIALETO, [S.l.], v. 9, n. 27, p. 44 - 63, set. 2019. ISSN 2178-1486. Disponível em: <http://sociodialeto.com.br/index.php/sociodialeto/article/view/193>. Acesso em: 22 nov. 2019.