CARIJÓS, CARAÍBAS, CURIBOCAS PERIFÉRICOS, PRETERIDOS, MESTIÇOS RASTROS LINGUÍSTICOS DAS RELAÇÕES SOCIAIS NO BRASIL COLÔNIA

  • Laisa Tossin UNICAMP

Resumo

Neste artigo, traço as trajetórias históricas de estabelecimento do sentido de três termos: carijó e suas implicações para a etnonímia indígena; caraíba e suas implicações canibais tanto para portugueses quanto para indígenas; e curiboca e suas implicações para a designação das relações entre negros e índios. Para isso, analiso os textos dos primeiros cronistas sobre o Brasil e averiguo os termos que designam o branco em algumas línguas indígenas, como caraíba, que designam os índios em documentos coloniais, como carijó e que designam os mestiços, como curiboca. Avalio também o processo histórico de dicionarização dos termos: carijó, caraíba e curiboca e aponto algumas circulações de sentido que estão implicadas na constituição desses termos.


ABSTRACT: In this article, I outline the historical trajectories of establishing the meaning of three terms: carijó and its implications for indigenous ethnology; Caribbean and its cannibal implications for both Portuguese and indigenous peoples; and curiboca and its implications for the designation of relations between blacks and Indians. For this, I analyze the texts of the first chroniclers on Brazil and find out the terms that designate the white in some indigenous languages, like caraíba, that designate the Indians in colonial documents, like carijó and that denominate the mestizos, like curiboca. I also evaluate the historical process of the termization of the terms: carijó, caraíba and curiboca, and I point out some circulations of meaning that are implicated in the constitution of these terms.


KEYWORDS: Discourse about the colony. Discourse about indigenous languages. Discourse about Tupi. Tupi Dictionalization.

##submission.authorBiography##

##submission.authorWithAffiliation##

PNPD do Programa de Pós-graduação em Letras da Universidade Federal de Santa Maria. Pesquisadora-colaboradora do Programa de Pós-graduação em Estudos da Tradução da Universidade de Brasília. Doutora em Linguística pelo Instituto de Estudos da Linguagem da Unicamp.

Publicado
2019-09-17
Como Citar
TOSSIN, Laisa. CARIJÓS, CARAÍBAS, CURIBOCAS PERIFÉRICOS, PRETERIDOS, MESTIÇOS RASTROS LINGUÍSTICOS DAS RELAÇÕES SOCIAIS NO BRASIL COLÔNIA. Web Revista SOCIODIALETO, [S.l.], v. 9, n. 27, p. 79 - 101, set. 2019. ISSN 2178-1486. Disponível em: <http://sociodialeto.com.br/index.php/sociodialeto/article/view/181>. Acesso em: 22 nov. 2019.