POLÍTICAS LINGUÍSTICAS E O ENSINO DE ESPANHOL: A NOVA BASE NACIONAL COMUM CURRICULAR E O APAGAMENTO

  • Jessica Paula Vescovi UNIOESTE/UESPAR
  • Patricia Lucas
  • Taiana Grespan Pensin

Resumo

O presente estudo objetiva refletir sobre as políticas linguísticas que abarcam o ensino da língua espanhola no Brasil. Serão feitas considerações acerca das políticas linguísticas adotadas na atualidade bem como abordar-se-ão as legislações vigentes quanto ao ensino da língua espanhola em âmbito nacional. Busca-se também fazer um contraponto, haja vista que recentemente houve a implementação de uma nova Base Nacional Comum Curricular (documento que regulamenta o ensino no país), sendo feita uma comparação breve entre a legislação anterior e a nova proposta. Para tanto, serão utilizados os estudos de Rajagopalan (2011; 2013; 2014) a respeito de políticas linguísticas, além da análise da Base Nacional Comum Curricular nos tópicos referentes ao ensino de língua estrangeira moderna. A presente pesquisa possui base documental, pois as reflexões apresentadas baseiam-se em documentos oficiais e em aportes teóricos da linguística aplicada e organiza-se da seguinte forma: inicialmente, são apresentados conceitos relativos à política linguística e à identidade (HALL, 2006), na sequência, discute-se o ensino da língua espanhola no Brasil, através de um breve panorama histórico, para, então, ser apresentada a nova Base Nacional Comum Curricular, especificamente sobre o ensino de língua estrangeira moderna no país e, por fim, discute-se a importância da implementação de políticas linguísticas que intercedam em favor  do ensino do espanhol em sala de aula.  Os resultados obtidos evidenciam a urgência de políticas linguísticas que valorizem o ensino de língua espanhola no Brasil haja vista que o país faz fronteira com países cuja língua oficial é o espanhol e também realçam a presença do estereótipo de que a língua espanhola e portuguesa por serem de origem latina são semelhantes e que, portanto, o ensino do espanhol deve ser desprestigiado enquanto língua a ser ensinada/aprendida em sala de aula em detrimento de outros idiomas, como, por exemplo, o inglês.

Publicado
2019-04-09
Como Citar
VESCOVI, Jessica Paula; LUCAS, Patricia; GRESPAN PENSIN, Taiana. POLÍTICAS LINGUÍSTICAS E O ENSINO DE ESPANHOL: A NOVA BASE NACIONAL COMUM CURRICULAR E O APAGAMENTO. Web Revista SOCIODIALETO, [S.l.], v. 9, n. 26, p. 354 - 370, abr. 2019. ISSN 2178-1486. Disponível em: <http://sociodialeto.com.br/index.php/sociodialeto/article/view/110>. Acesso em: 14 abr. 2021.